8 DICAS DE OURO PARA VIAJAR COM CRIANÇAS

Dicas para viajar com crianças e fazer desta a melhor experiência da vida de vocês

Viajar é das melhores experiências da vida. A gente se renova, rejuvenesce. Traz na bagagem não apenas os pertences pessoais e os souvenirs comprados em cada lugar visitado. Mas na babagem de vida, a vivência de outras culturas e as lembranças não têm preço. Viajar com crianças, então, é algo que traz uma satisfação imensa! Primeiro, porque não deixamos de fazer o que tanto curtimos: por o pé na estrada. Segundo, porque cada reação de deslumbramento dos nossos filhos nos causa um contentamento sem igual.

Viajar com crianças é super possível! Mas traz, sim, algumas limitações, que devem ser observadas. É que, apesar de muita energia, eles têm interesses próprios. E muitas vezes não dão conta de um ritmo tão acelerado. O cansaço bate, e se não tivermos atenção a isso, o humor pode acabar atrapalhando um programa que seria muito legal.

Para ajudar no planejamento, sugerimos algumas medidas que podem e devem ser tomadas de modo a fazer com que a viagem seja inesquecível e repleta de momentos de alegria! São as oito dicas de ouro que trazemos para você viajar com crianças:

A carinha de satisfação faz valer a pena viajar com crianças

1. DEFINIR PREVIAMENTE O ROTEIRO E BUSCAR INCLUIR PROGRAMAS QUE SEJAM INTERESSANTES TAMBÉM PARA AS CRIANÇAS

Viajar é verbo que se pratica em fases distintas. A primeira delas é a do planejamento. Passamos dias olhando informações sobre roteiro, hospedagem, vôos etc.

Incluir as crianças nesse planejamento é algo que fazemos por aqui e que tem surtido ótimos resultados. Isso porque elas participam nas escolhas dos programas que vamos fazer juntos e passam a ter consciência que outras atividades além das que elas desejam serão também feitas.

Assim, ao viajar com crianças, sempre intercalamos no roteiro programas da mamãe Fernanda, com os escolhidos pelo Felipe e pela Letícia. A viagem fica uma delícia e conseguimos agradar a Gregos e Troianos.

Se sua criança ainda não está na idade de realizar essas escolhas, faça você mesmo a opção por alguns locais. Procure locais em que ela poderá se divertir, como praças, parques, museus infantis, sorveterias, brinquedotecas, dentre outros. Isso sem contar com as praias: onde além de fazerem os famosos castelinhos, os pequenos gastam energia e se divertem nas águas do mar.

Um roteiro bem planejado, com certeza, garantirá a diversão de toda a família!

Lipe adora futebol. Por isso sempre escolhe ir aos campos dos lugares por onde passamos

2. PROVIDENCIAR CORRETAMENTE A DOCUMENTAÇÃO

Certidão de nascimento, carteira de identidade, passaportes e afins são documentos que sempre precisamos ter atenção redobrada antes de viajar com crianças. Verificar se estão com a validade ok e em bom estado de conservação são medidas que podem evitar muitas dores de cabeça no momento da viagem. Se o destino é para fora do país, providenciar o visto em tempo hábil também é medida que se impõe.

Vale lembrar que em alguns lugares do mundo são exigidas vacinas que devem ser tomadas e certificadas nos cartões internacionais, que podem ser tirados nos postos de saúde de sua cidade.

No caso dos meus pequenos, houve tempo que, por viajar sozinha com as crianças, levava também a certidão de óbito do pai dos dois, para evitar contratempos no embarque, já que em alguns casos a autorização para viagem a sós com o filho precisa ser autorizada pelo pai. No novo passaporte de ambos, pedi que a Polícia Federal fizesse constar o falecimento, e isso passou a ser desnecessário.

Para maior segurança, é recomendável que se faça cópia de toda a documentação, inclusive dos vouchers e dos cartões de crédito que serão levados, de modo a, em caso de extravio, ter todas as informações necessárias para se resguardar. Montar uma pasta ou envelope com essas cópias ajuda muito na organização para quem quer viajar com crianças.

E em caso de perda ou esquecimento dos documentos originais dos menores, estando em território nacional, procure a polícia civil no aeroporto, lavre um boletim de ocorrência narrando o fato, e, assim, você conseguirá embarcar com o menor.

3. CONTRATAR UM SEGURO VIAGEM

Desde as minhas primeiras viagens internacionais na adolescência, costumo fazer o seguro de viagem. Em muitos locais ele é obrigatório, em outros, não.

Apesar de nunca ter lançado mão dos valores segurados (ainda bem!!!), essa garantia traz muita tranquilidade para viajar com as crianças. Independentemente do destino, sempre contrato para nós 3, já que os dois por aqui são muito levados.

4. IDENTIFICAR ADEQUADAMENTE AS CRIANÇAS

Outra medida muito importante é fazer a identificação dos pequenos. Por aqui sempre fazemos pulseirinhas para os dois. Nela colocamos nome, contato, endereço de onde estamos hospedados e todos os dados necessários em caso de perder nossos tesouros.

Temos sorte de nunca ter acontecido algo do tipo, mas não custa prevenir, né? Viajar com crianças implica pensar a todo tempo em providências nessa prevenção…

Como o Felipe e a Letícia já estão maiorzinhos, a pulseira resolve bem e é recomendado que seja, inclusive, escrita na língua local. Já houve época em que brincava de fazer tatuagens nos dois: escrevia na barriguinha deles os dados, porque assim ficava mais lúdico e eles se incomodavam com aquilo nos braços.

Outra boa opção é fazer a identificação nas roupas que estejam usando, escrevendo ou bordando os dados completos da criança.

5. BUSCAR BOAS ACOMODAÇÕES PARA SE HOSPEDAR

Espaço para eles brincarem nos hotéis é muito bom para iniciar ou terminar um dia de muita caminhada

Quando falamos em boas acomodações, não pensamos, necessariamente, em hotéis pomposos e de muito luxo. Cada família e viagem tem seu orçamento. E isso deve ser também observado no momento da escolha da hospedagem.

Os resorts são ótima opção para famílias que desejam usufruir das dependências do estabelecimento, deixando as crianças um pouco mais soltas, por contarem com a ajuda de monitores. Todavia, muitas pessoas, pelo comodismo que este tipo de hospedagem proporciona, acabam deixando de conhecer as belezas e atrações locais e ficam atreladas apenas ao que o resort oferece.

Hotéis e pousadas de menor porte são interessantes não apenas para os casos em que se pretende ficar pouco tempo nas suas dependências. Os custos mais acessíveis são também um grande chamativo. Lembrando que muitos oferecem o conforto necessário para uma boa noite de sono, um banho renovador, além de outras comodidades importantes para recuperar as energias e prosseguir na descoberta do destino.

O aluguel de apartamentos ou casas também é uma boa pedida. Além de nos dar mais liberdade com as crianças, que podem brincar mais livremente, proporciona maior flexibilidade de horários, como o do café da manhã, por exemplo.

Na hora de decidir por qual acomodação escolher, verifique qual o propósito de sua viagem, pesquise bem e uma vez escolhido, aproveite ao máximo sua hospedagem!

6. PROCURAR VÔOS COM MENOS ESCALAS E CONEXÕES

Quando bebês, Felipe e Letícia sofriam muito no momento da decolagem e aterrissagem, por causa da pressão nos ouvidos. Avisado um desses momentos pelo Comandante, ou eu os amamentava no peito, ou, um pouquinho maiores, levava uma mamadeira com leite para eles sugarem e aliviar o incômodo.

Hoje, sempre levo algo para eles mastigarem, porque assim eles sentem menos essa indisposição.

O vôo é algo que eles adoram, mas quando muito longos, acabam se cansando, ainda que durmam nos assentos (e em cima da mamãe, claro!). Assim, procurar reduzir o tempo da viagem, diminuindo as escalas e conexões pode ser uma medida muito favorável.

Claro que isso pode afetar os valores das passagens, mas procurando com antecedência, é possível conciliar custos, tempo de espera em solo e de vôo menores.

Mesmo com a famosa dormidinha no avião, os pequenos ficam cansados

7. TER SEMPRE EM MÃOS COMIDINHAS E LÍQUIDOS PARA OS PEQUENOS SE HIDRATAREM

Água, sucos, leite com achocolatado… tudo isso faz a diferença no decorrer de toda a viagem. Do mesmo modo, frutas e alguns biscoitinhos podem ajudar no momento em que bate a fome na meninada e não há uma boa lanchonete ou restaurante por perto.

Dê preferência aos alimentos saudáveis e, se o hotel não os disponibilizar, vale uma passada no Supermercado para adquirir uma banana, uva ou a fruta que o seu pequeno preferir.

Lembrando que faça frio ou faça sol, a hidratação das crianças é imprescindível para que tudo corra bem na viagem. Afinal, ninguém quer chateações no meio da jornada, né?

Água para estarem sempre hidratadas

8. LEVE LIVROS E BRINQUEDOS MENORES PARA DISTRAIR AS CRIANÇAS NA VIAGEM

Na nossa família de três, sempre ficamos hospedados no mesmo quarto. E isso às vezes é algo que traz aborrecimentos. Os dois por aqui acordam muito cedo e, normalmente, de férias, eu quero dormir um pouquinho mais. Daí, livros e brinquedos são uma boa pedida para viajar com crianças.

Esses objetos também são super interessantes na hora do vôo e espera nos aeroportos. Uma distração a mais para as crianças que ajuda a combater a tão famosa ansiedade, pela ida ou volta da viagem.

Quando já em idade mais avançada, como é o caso dos meus, o uso dos tablets e afins é interessante, mas com parcimônia. Sempre delimito horários para que os aparelhos eletrônicos possam ser usados, de modo a não prejudicar o curtir do local que estamos visitando.

Seguidas as dicas de ouro, é tempo agora de aproveitar!

Boa viagem!

São os desejos de @comcriancaspelomundo

Não deixe de acompanhar outros textos sobre viagens com criança aqui

Olá, que bom ver você por aqui!

Não deixe de se cadastrar para receber toda as novidades do site!

Fique por dentro de todos os posts

  • YouTube
  • Facebook
  • Instagram
  • Twitter

Tem dicas, sugestões ou dúvidas? Envie agora mesmo a sua mensagem!

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Instagram